Guia Manhuaçu

Polícia

03/05/2020

Operação Safra Segura atuará na região de Simonésia e Santana do Manhuaçu

MANHUAÇU (MG) - A 72ª Companhia da Polícia Militar lançou nesta quinta-feira, 30/04, a operação "Safra Segura", que tem por objetivo proteger as pessoas envolvidas durante a colheita de café, principalmente os produtores e encarregados que fazem pagamentos dos trabalhadores.

A operação vai até agosto e será realizada na zona rural dos municípios que compõem a área da companhia: Manhuaçu, Luisburgo, São João do Manhuaçu, Reduto, Simonésia e Santana do Manhuaçu. Serão policiais distribuídos em viaturas diversas e realizando abordagens e patrulhamento diário.

A Patrulha Rural será empregada no reforço no policiamento das comunidades rurais em virtude deste período de colheita do principal produto da economia da região, o café. “A preocupação da Polícia Militar é com o aumento expressivo de circulação de pessoas e valores na região rural. As equipes de Patrulha Rural realizarão visitas aos produtores rurais a fim de transmitir orientações para que todos busquem adotar medidas de autoproteção”, destaca a assessoria do 11º Batalhão de Polícia Militar.

ORIENTAÇÕES

Entre as principais orientações, a Polícia Militar explica que os produtores não devem deixar café colhido em meios às lavouras. Além disso, os galpões devem estar sempre bem trancados e iluminados. Cafeicultores não devem deixar grande quantidade de café estocada na propriedade.

Roçadeiras, motosserras e qualquer outro equipamento de valor devem ser guardadas em local bem trancado.

Os policiais também orientam os proprietários rurais a monitorarem pessoas que estejam rondando as fazendas, principalmente à noite. Dentro do possível, é recomendável anotar a placa e a cor de veículos, repassando estas informações o mais rápido possível para a Polícia Militar.

Sobre os trabalhadores da colheita, a PM alerta que, antes de contratar, exija sempre os documentos de identificação, endereço e referências de outros locais onde o trabalhador já prestou serviço. Se houver qualquer suspeição, comunique a PM.

Com relação ao pagamento de funcionários e fornecedores, uma opção recomendada é a utilização de cheque. “Faça esses pagamentos sempre em dias e horários diferentes”, alerta a PM.

A polícia ainda sugere que os produtores dificultem o acesso a sua fazenda, mantendo as porteiras bem conservadas e fechadas com cadeados. Terreiro e casa devem ser bem iluminados. “Quem tiver condições, é orientado a instalar alarmes, câmeras de segurança e sensores de presença e ainda a colocar placas, avisando que no local existe sistema de segurança”, destacam as orientações da PM.

Além disso, a polícia orienta que não se comente sobre grandes vendas e evitem manter altas quantias de dinheiro ou joias na fazenda. O lugar mais seguro para guardá-los é uma agência bancária.

Funcionários não devem fornecer informações sobre a propriedade e seus donos a pessoas estranhas. “Em caso de assalto, não reaja! Sua vida é mais valiosa do que qualquer bem! E se possível, procure observar a fisionomia dos bandidos para facilitar o reconhecimento, além de anotar placas e características dos veículos usados no roubo”.

APOIO DA COMUNIDADE

A Polícia Militar solicita também o apoio da comunidade com denúncias para prevenir a ocorrência de crimes. A identidade dos denunciantes é sempre preservada e o sigilo é absoluto.

Todo cidadão pode ser parceiro da PM denunciando atividades e pessoas suspeitas, pelos números 190 (emergências policiais) e 181, que é o Disque Denúncia Unificado, onde a pessoa não precisa se identificar e recebe uma senha para acompanhar os levantamentos.