Guia Manhuaçu

Agronégocios

23/01/2020

Mercado de rações e leite: Zootecnista fala de alternativas para o produtor

REDAÇÃO - O verão, conhecido também como “o período das águas”, é a uma excelente temporada para os pecuaristas adequarem a dieta de seus animais, aproveitando as pastagens como base para a alimentação de seu gado. Com o aumento do preço do milho e a cotação do leite estagnada o produtor deve procurar alternativas para reagir mediante esse cenário.

O aumento significativo no preço das rações em todo território brasileiro nos ultimos dias, é ideal que as mudanças necessárias sejam sob orientação técnica adequando a dieta do gado à realidade da propriedade. Com a orientação correta o impacto nos custos podem ser evitados.

Em entrevista, o Zootecnista da cooperativa Douglas Paiva falou sobre três alternativas para que o produtor de gado leiteiro enfrente esse cenário desafiador.

“A orientação técnica sobre nutrição de vacas nesse momento tem um papel fundamental na tomada de decisão. A Coocafé tem essa diretriz para oferecer ao produtor; informações e um portfólio das Rações Coocafé que vão encaixar nessas alternativas.

Obs. Essas alternativas possuem formas de diminuir custo mantendo produção, e em alguns casos aumentando a produção; e sem causar prejuízos reprodutivos.

Opção 1: Conseguir adequar a ração concentrada ao tipo de volumoso que o pecuarista tem na propriedade. De maneira geral, nessa época do ano (dezembro a fevereiro) temos bastante chuva, temperatura alta, o que propicia o crescimento dos capins. O principal benefício de aliar a ração concentrada com a pastagem é a economia ao adquirir uma ração de valor menor.

Opção 2: Trabalhar com a ração à granel também é uma boa alternativa. Comprando as Rações Coocafé e armazenando em silos metálicos na propriedade, o produtor tem economia comparando à ração ensacada. Possibilidade essa que também não prejudica na qualidade da alimentação do gado.

Opção 3: Utilização de dois tipos de ração para as vacas em lactação. Uma ração de custo maior para vacas em fase de maior exigência (vacas de bezerro (a) novo (a) ) e outra ração de custo menor para vacas em fase de menor exigência nutricional (vacas de bezerro (a) velho (a)). Conhecendo a realidade de seu rebanho, o produtor sabe quais são os animais que estão produzindo mais e os que produzem menos, com isso ele consegue direcionar o uso dos dois produtos. Adequando melhor a dieta de seus animais gerando economia sem quebra de produção leiteira ou prejuízos reprodutivos.

O Zootecnista afirma que essas alternativas se encaixam a vários perfis de propriedade e existem aquelas em que todas as opções podem ser trabalhadas. Douglas reforça também que é fundamental a ajuda de um especialista / consultor técnico para encontrarem a melhor solução.”