Guia Manhuaçu

Geral

24/05/2018

Greve dos caminhoneiros afeta postos e serviços públicos em toda a região

REDAÇÃO - O protesto dos caminhoneiros contra o aumento no preço do diesel chega ao quarto dia nesta quinta-feira (23) e afeta o abastecimento nos postos de combustíveis em toda a região do Caparaó. A manifestação continua em Realeza, no entroncamento das BRs 262 e 116, onde os manifestantes estão estacionados no acostamento.

Segundo o diretor adjunto do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro), Gustavo Souza, a gasolina comum e o etanol já acabaram em postos de todo o estado. Em Manhuaçu, a maior parte dos postos registrou filas enormes nesta quinta-feira por conta da procura por combustíveis. Em muitos locais, acabou a reserva e agora os poucos pontos continuam com procura nesta quinta.

O mesmo quadro foi verificado em todas as cidades a região, inclusive com políticas de abuso por parte de proprietários que aumentaram os preços devido a alta demanda. A gasolina chegou a quase seis reais em pelo menos dois postos.

Em Realeza, dá para entender os motivos do desabastecimento. Além dos caminhoneiros que aderiram ao protesto, os outros são impedidos de passar e precisam aderir ao movimento.  Uma carreta foi impedida de descarregar combustível num posto no distrito. Outro motorista, num carro utilitário, tentou passar com a carga que havia retirado de um caminhão.

Enquanto alguns tentam furar o movimento, outros apoiam a medida. Em Realeza, houve mobilização para auxiliar com alimentação e lanches para os caminhoneiros parados.

Ainda segundo Gustavo Souza, se a greve permanecer vai faltar combustíveis em todos os postos da região. “Se o caminhão não sai para buscar o combustível, não tem como chegar nas bombas. Então provavelmente deve zerar tudo agora. Só tem sobrando o diesel, porque geralmente é usando em caminhões”, informou.

Outro reflexo é justamente os serviços públicos, como transporte coletivo e ônibus escolares, bem como veículos das prefeituras. Com o desabastecimento, as empresas Viação União e Viação Vale do Piranga informaram a redução da quantidade de itinerários. Outras empresas também reduziram suas linhas. Se você vai viajar, verifique antes com a empresa.

As prefeituras estão priorizando o abastecimento de ambulâncias. Há previsão do transporte escolar também ser reduzido ou paralisado.

Em Minas, o protesto começou na BR-381 na manhã da última segunda-feira (21). Na terça, em Realeza nas BR-262 e 116 houve a adesão de caminhoneiros. Não foram registrados bloqueios, pois os caminhoneiros seguem parados no acostamento da via e o trânsito está liberado para carros de passeio e ônibus.

Carlos Henrique Cruz - carlos@portalcaparao.com.br